Para fechar bem o ano de 1922, mais um título do Brasil

Sete dias antes o Brasil havia conquistado dois títulos e em 29 de outubro de 1992, tinha a possibilidade de fechar o ano com chave de ouro ao enfrentar novamente o Paraguai – derrotado no dia 22 pelo Campeonato Sul Americano. Desta vez, porém, o confronto valia a Taça Rodrigues Alves.

Se o título em si não era lá tão importante, a conquista, com a vitória por 3 a 1, porém, mostrou o quanto tinha qualidade esta geração de craques brasileiros. Sem ser considerada ainda uma potência, o time tupiniquim, que repito, vencera sete dias antes dois títulos na mesma data e com times diferentes, se deu ao luxo, de praticamente montar um terceiro time.

Isso mesmo. Para a disputa da Taça Rodrigues Alves no campo da Floresta, a comissão técnica do Brasil se utilizou apenas de seis jogadores que haviam disputado qualquer um daqueles dois jogos e vencido os dois títulos anteriormente.

Do considerado time ‘A’ que vencera o Campeonato Sul Americano, ficaram o defensor Palamone, do Botafogo e o atacante Neco, do Corinthians. Do time ‘B’, que venceu a Copa Roca ante a Argentina vinham o goleiro Mesquita, da Portuguesa, o médio-esquerdo Nesi do São Cristovão, o ponta-direita Zezé do Fluminense e o atacante Gambarotta, do Corinthians.

O zagueiro Alexy, da Atlética das Palmeiras, o médio-direito Alfredinho, do Botafogo, o centro-médio Xingô, do Pelotas, o atacante Imparatinho e o ponta-esquerda Martinelli, ambos do Palestra Itália, completavam o misto brasileiro, que formava quase que um terceiro time, para uma terceira decisão, em sete dias.

Gambarotta, heroi da conquista Copa Roca, com dois gols, voltou a marcar. Porém, o grande nome do jogo foi o palestrino Imparatinho que marcou duas vezes. Rivas, maior artilheiro paraguaio em confrontos contra o Brasil, com quatro gols, marcou um deles nessa partida.

O time paraguaio derrotado nessa partida, ao contrário do brasileiro, tinha pouquíssimas alterações com relação ao jogo de uma semana atrás, no Rio de Janeiro. Destaque para o jogador e já treinador da sua seleção, Fleitas Solich, que mais tarde, como técnico, fez história no Flamengo, que comandou em diversas oportunidades entre as décadas de 50 e 70. Dirigiu a equipe carioca em 504 partidas e teve um aproveitamento de 66,14% de pontos.

Ficha técnica: Brasil 3 x 1 Paraguai

Brasil
Mesquita [Portuguesa]; Palamone [Botafogo] e Alexy [AA Palmeiras]; Alfredinho [Botafogo], Xingô [Pelotas] e Nesi [São Cristóvão]; Zezé I [Fluminense], Neco [Corinthians], Gambarotta [Corinthians], Imparatinho [Palestra Itália] e Martinelli [Palestra Itália].
Técnico: Comissão

Paraguai
Denis; Mena e Paredes; Mirandas, Fleitas Solich e Benitez; Shaerer, Ramirez, Lopez, Rivas e Fretes.
Técnico: Manuel Fleitas Solich

Data: 29 de outubro de 1922
Competição: Taça Rodrigues Alves
Local: Campo da Floresta, em São Paulo
Árbitro: Francisco Abreu Balcó

Por Raoni David
—————————————————————–
On the last game of 1922, another title for Brazil

Just seven days after winnign two titles, as shown on the 22nd, The Seleção had another crwon on the line as they faced again Paraguay for the Rodrigues Alves Cup.

If the Cup was not that important, Rodrigues Alves was a President of Brazil in the early years of the 1900’s, the win consolidated a generation of Brazil’s best players. Without the hype of these days, Brazil managed to win a third title in a week with a different team from the prevois two. The staff called off for this game only six players that were on the field in São Paulo or Rio one week before.

From the team that played in Rio and won the South American Championship they called off the defender Palamone and the forward Neco. From the Copa Roca team came the goalie Mesquita, left midfielder Nesi, rigth winger Zezé and striker Gambarotta.

The new faces were back Alexy, rigth midfielder Alfredinho, midfielder Xingô, striker Imparatinho and left winger Martinelli. An amazing range of seven clubs represented in that game.

Gamarotta showed again his credentials scoring first, but Imparatinho went on to score twice to seal Brazil’s win. Rivas, who happens to be the biggest Paraguayan scorer against Brazil to the date with four goals, scored one in that game.

The Paraguayan squad in the other hand, was similar to that one Brazilwon one week before. Fleitas Solich was their main player and coach. He later came to Brazil, and on the bench of Flamengo he managed 504 games.

Brazil 3 x 1 Paraguay

Brazil
Mesquita [Portuguesa]; Palamone [Botafogo] and Alexy [AA Palmeiras]; Alfredinho [Botafogo], Xingô [Pelotas] and Nesi [São Cristóvão]; Zezé I [Fluminense], Neco [Corinthians], Gambarotta [Corinthians], Imparatinho [Palestra Itália] and Martinelli [Palestra Itália].
Coach: Staff

Paraguay
Denis; Mena and Paredes; Mirandas, Fleitas Solich and Benitez; Shaerer, Ramirez, Lopez, Rivas and Fretes.
Coach: Manuel Fleitas Solich

Date: 29th October 1922
Competition: Rodrigues Alves Cup
Place: Floresta Field, São Paulo
Referee: Francisco Abreu Balcó

Tradução de Fabricio Presilli

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s