Gilmar Popoca decide e Brasil fica perto da segunda fase em Los Angeles

A chave do Brasil no torneio Olímpico de Los Angeles em 1984 não era das mais fáceis. Apesar dos fracos Marrocos e Arábia Saudita, havia a Alemanha Ocidental e toda a sua história no futebol. O encontro entre duas das principais escolas do esporte se deu em 1º de agosto de 1984 e o Brasil de Jair Picerni levou a melhor.

Ambas as equipes haviam vencido na estreia. A seleção europeia derrotou o Marrocos por 2 a 0 enquanto o Brasil venceu a Arábia Saudita por 3 a 1. Assim, o que já era imaginado antes da competição se consolidou e os favoritos disputariam apenas o melhor lugar dentro do Grupo C do torneio.

Como o Brasil, a Alemanha não tinha um time recheado de jogadores que fariam muito sucesso na seleção. Destaques para Buchwald e Brehme, que foram expoentes da equipe nas décadas de 1980 e 1990, além de Mill e Rahn que chegaram a disputar uma Copa do Mundo pela equipe. Todos eles enfrentaram a equipe brasileira neste dia. Do lado do Brasil, teria sucesso e disputaria Copas, o goleiro Gilmar, o zagueiro Mauro Galvão e o volante Dunga.

Desta maneira, o equilíbrio contumaz de um confronto entre Brasil e Alemanha prevaleceu no 1 a 0 na cidade de Palo Alto. E o destaque da partida foi o talentoso e explosivo Gilmar Popoca que vestia a 10. Primeiro, já no segundo tempo, ele cobrou falta sofrida por Ronaldo. De canhota, mandou a bola na trave esquerda do goleiro Franke. A bola não entrou porque não quis.

Mais tarde, já nos minutos finais de partida, Dunga puxou contra ataque e tocou para Gilmar na entrada da área. De costas para o gol na entrada da meia lua ele protegeu e sofreu a falta. Desta vez a cobrança foi com perfeição, no ângulo direito do goleiro que nada pôde fazer. Gol do Brasil aos 42 minutos do segundo tempo.

Herói do Brasil nesta partida, Gilmar Popoca era talentoso, mas explosivo, tendo se desentendido com a diretoria do Flamengo por diversas vezes, quase sempre quando iria reformar o contrato. Desta maneira, jamais conseguiu ser profissionalmente o jogador que prometia na base e passou por diversas equipes em sua carreira, inclusive times grandes como Santos, São Paulo e Botafogo, sem jamais se destacar.

A vitória por 1 a 0 levou o Brasil a quatro pontos – cada vitória valia 2 pontos – e praticamente garantiu a classificação do Brasil que precisava de um simples empate para ser líder e poderia até perder por dois gols de diferença do Marrocos e ainda assim estaria classificado, mas provavelmente atrás da Alemanha que enfrentaria a Arábia Saudita. Isso não ocorreu, o Brasil venceu por 2 a 0 e se classificou na liderança e com 100% de aproveitamento e a melhor campanha da primeira fase.

Ficha técnica

Brasil 1×0 Alemanha Ocidental

Data: 01/08/1984
Competição: Jogos Olímpicos de Los Angeles
Local: Stanford Stadium
Público: 75.239 pagantes
Cidade: Palo Alto (Estados Unidos)
Árbitro: Cha Kiung Boh (Coréia do Sul)
Auxiliares: Joel Quiniou (FRA) e Ioan Igna (ROM)
Cartões amarelos: André Luiz (BRA) e Bommer (ALE).
Gol: Gilmar Popoca aos 42’ do 2ºT.

Brasil: Gilmar [Internacional]; Ronaldo [Corinthians], Pinga [Internacional] (Davi) [Santos], Mauro Galvão [Internacional] e André Luiz [Internacional]; Ademir [Internacional], Dunga [Internacional], Gilmar Popoca [Flamengo] e Tonho [Internacional]; Chicão [Ponte Preta] e Silvinho [Internacional].
Técnico: Jair Picerni.

Alemanha Ocidental: Franke; Bockenfeld (Dickgiesser), Bast, Buchwald e Wehmeyer; Bommer, Groh e Brehme; Schatzschneider (Lux), Rahn e Mill.
Técnico: Erich Ribbeck.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s