Confusão e vingança: nasce a rivalidade entre Brasil e Argentina

A Copa do Mundo de 1938, a primeira em que o Brasil disputou decentemente, foi ladeada por um dos primeiros episódios de rivalidade entre Brasil e Argentina. A história começou na disputa da Copa Roca de 1937 e só foi terminar em 22 de janeiro de 1939, com vitória brasileira depois de um vexame em São Januário.

Antes disputada com cordialidade, a Copa Roca ganhou contornos de tensão quando em 1937, acossado nas ruas pelo povo argentino, o selecionado brasileiro resolveu que a vitória seria uma questão de honra. Perdendo por 2 a 0, sem concordar com um dos gols e preocupado com a segurança, o time comandado por Adhemar Pimenta tentou abandonar o gramado, mas foi impedida.

Marcada a revanche para dois anos depois, o Brasil recebeu a Argentina e num verdadeiro vexame, foi derrotado por 5 a 1. Leônidas da Silva marcou o gol de honra brasileiro aos 16 minutos do segundo tempo, quando a Argentina já vencia por 5 a 0. Em pleno estádio São Januário.

O segundo jogo, em 22 de janeiro, também seria em São Januário e ao lado do craque Leônidas da Silva, artilheiro da Copa do Mundo no ano anterior, estavam nomes consagrados como os de Domingos da Guia, Zezé Procópio, Afonsinho, Romeu Pelliciari e Perácio.

Um grande time, mas que mais uma vez teria muitas dificuldades contra a Argentina de Peucelle e Sastre, entrou outros destaques argentinos da época.

Leônidas da Silva abriu o marcador ainda aos 15 minutos do primeiro tempo, mas o Brasil não se manteve à frente por muito tempo. Aliás, a dianteira do placar esteve mantida por menos de um minuto: Bruno Rodolfi empatou aos 16 minutos. O pior, porém, ainda estava por vir e logo aos 23 minutos Enrique Garcia virou o placar para os rivais.

Já aos 33 minutos do segundo tempo, o médio Adilson, do Madureira voltou a empatar a partida para os brasileiros. Pouco depois, porém, o jogo tomaria rumo diferente do esperado. Ou não…

Na sequência o árbitro brasileiro Carlos de Oliveira Monteiro assinalou pênalti, em marcação muito contestada pelos argentinos, que acabaram por agredir o árbitro. A polícia entrou na confusão, castigando aos argentinos que ao contrário dos brasileiros, dois anos antes, conseguiram fugir do campo de jogo, já que a porta do vestiário estava aberta.

Sem time adversário e, obviamente, sem o goleiro Sebastian Gualco, Perácio, atacante botafoguense marcou, aos 40 minutos, de pênalti, o gol da vitória brasileira. Como a Argentina se negara a fazer uma partida de desempate, o Brasil foi proclamado o campeão da Copa Roca de 1939.

Ficha técnica

Brasil 3×2 Argentina
Data: 22 de janeiro de 1939
Competição: Copa Roca
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro
Público: 40 mil pagantes
Árbitro: Carlos de Oliveira Monteiro
Gols: Leônidas da Silva 15’, Bruno Rodolfi 16 e Enrique Garcia 23’ do 1º tempo; Adilson 33’ e Perácio (pen) 40’ do 2º tempo.

Brasil: Thadeu [América]; Domingos da Guia [Flamengo], Florindo I [Vasco] e Zezé Procópio [Botafogo]; Brandão [Corinthians], Afonsinho [São Cristóvão] e Adílson [Madureira]; Romeu Pelliciari [Fluminense], Leônidas da Silva [Flamengo],
Perácio [Botafogo] e Carreiro [São Cristóvão].
Técnico: Adhemar Pimenta.

Argentina: Gualco; Montañez e Coleta; Arcádio Lopez, Rodolfi e Arico Suarez; Peucelle, Sastre, Massantonio, Moreno e Garcia.
Técnico: Angel Fernandez Roca.

Por Raoni David

————————————————————————————————-

Riot and revenge, a South American Rivalry is born.

The 1938 World Cup was the first that the Brazilians took seriously, and staged a one of the first chapters of the Argentina versus Brazil rivalry. The spat begun during the 1937 Copa Roca and lasted all the way to 1939.

A tournament known for its cordiality, the 1937 Copa Roca was tense, after they got booed and cursed at the streets of Buenos Aires, the Brazilian win was a matter of honor. Losing by two goals and feeling that the ref was biased, the team saw an attempt to abandon the pitch blocked. At the rematch, in 1939, the Brazilians hosted Argentina only to lose by a blowout, 5 to 1, at the São Januário Stadium in Rio de Janeiro.

A second game was scheduled to the 22nd of January, and Leônidas da Silva, the top scorer of the 1938 World Cup, had the help pf Domingos da Guia, Zezé Procópio, Afonsinho, Romeu Pilliciari and Perácio. A great team that would face once again Peucelle and Sastre, the main Argentinian players.

Leônidas opened up the score at the 15th minute, but Argentina replied right away with Bruno Rodolfi. Enrique Garcia made the second Argentinian goal by the 23rd minute.

Madureira’s Adilson tied again at the 78th, a little later the game would take an unexpected turn. Referree Carlos de Oliveira Monteiro awarded a penalty kick that was heavily contested by the Argentinians, some spats were exchanged and the police was called up to the pitch to restore the order. The Argentinians took advantage of an open door to the locker room and fled the scene.

Without their opponents, Perácio scored the penalty and after the Argentinian denial to a new match Brazil was declared Champion of the 1939 Copa Roca.

Brazil 3×2 Argentina
Date: January 22nd, 1939
Competition: Copa Roca
Place: São Januário Stadium, Rio de Janeiro
Attendance: 40.000
Referee: Carlos de Oliveira Monteiro
Goals: Leônidas da Silva 15’, Bruno Rodolfi 16’, Enrique Garcia 23’, Adilson 78’ and Perácio (PK) 85’.

Brazil: Thadeu [América]; Domingos da Guia [Flamengo], Florindo I [Vasco] and Zezé Procópio [Botafogo]; Brandão [Corinthians], Afonsinho [São Cristóvão] and Adílson [Madureira]; Romeu Pelliciari [Fluminense], Leônidas da Silva [Flamengo], Perácio [Botafogo] and Carreiro [São Cristóvão].
Coach: Adhemar Pimenta.

Argentina: Gualco; Montañez and Coleta; Arcádio Lopez, Rodolfi and Arico Suarez; Peucelle, Sastre, Massantonio, Moreno and Garcia.
Coach: Angel Fernandez Roca.

Tradução de Fabricio Presilli

Brasil conquista duas taças no mesmo dia!

É famosa a história de que o expressinho do São Paulo, no começo da década de 90, sob o comando de Telê Santana jogou duas partidas por competições diferentes num mesmo dia. O que pouca gente sabe é que este fato curioso já aconteceu com a Seleção Brasileira, em 22 de outubro de 1922.

E não foram quaisquer adversários, e nem jogos sem relevância. Para decidir o Campeonato Sul Americano, que mais tarde seria chamado de Copa América, fez-se necessário um jogo desempate contra os paraguaios. No mesmo dia, haveria a disputa da Copa Roca, contra os argentinos.

A seleção que já estava na disputa da Copa América disputada no estádio das Laranjeiras no Rio de Janeiro e que pode ser considerada a principal, ou a que contava com os melhores jogadores da época, seguiu na disputa e não decepcionou ao vencer o Paraguai por 3 a 0.

A base do time era paulista, com sete jogadores contra quatro dos cariocas. Formiga do Paulistano marcou duas vezes, e Neco do Corinthians uma, decretando a vitória brasileira, e o segundo título da competição na história.

E o que fazer com a disputa da tradicional Copa Roca, contra os argentinos, marcada para acontecer em São Paulo, no estádio Parque Antártica? A confederação, à época a CBD, convocou um segundo time, em que os paulistas novamente eram maioria. Apenas dois jogadores eram cariocas. Vale lembrar que no histórico dos confrontos entre os países havíamos perdido quatro e vencido três jogos, em nove disputados.

Aliás, a última vitória brasileira havia sido há sete dias, pela Copa América, por 2 a 0. O Brasil jogou com o time que derrotou o Paraguai e foi campeão, e a Argentina era praticamente a mesma que jogaria também a Copa Roca, uma vez que já estavam em solo brasileiro.

Pois não é que o time ‘B’ do Brasil venceu. E os visitantes ainda saíram na frente. Porém, Gambarotta, mais um corintiano, marcou duas vezes e o Brasil venceu por 2 a 1.

Confira abaixo, as duas fichas-técnicas.

Campeonato Sul Americano: Brasil 3 x 0 Paraguai

Brasil
Kuntz [Flamengo];Palamone [Botafogo] e Bartô II [AA São Bento-SP]; Laís [Fluminense], Amílcar [Corinthians] e Fortes [Fluminense]; Formiga [Paulistano], Neco [Corinthians], Heitor Domingues [Palestra Itália], Tatu [Corinthians] e Rodrigues I [Corinthians]
Técnico: Comissão

Paraguai
Denis; Gonzalez e Paredes; Miranda, Fleitas Solich e Benitez; Schaere, Capdeville, Lopez, Rivas e Prates
Técnico: Manuel Fleitas Solich

Data: 22 de outubro de 1922
Competição: Campeonato Sul Americano
Local: Estádio das Laranjeiras, no Rio de Janeiro
Árbitro: Servando Perez

Copa Roca: Brasil 2 x 1 Argentina

Brasil
Mesquita [Portuguesa]; Grané [Ypiranga-SP] e Clodô [Paulistano]; Abatte [Paulistano], Faragassi [Ypiranga-SP] e Nesi [São Cristóvão]; Leite de Castro [Botafogo] (Brasileiro) [Minas Gerais-SP], Zezé I [Fluminense], Gambarotta [Corinthians], Tepet [Ypiranga-SP] e Osses [Ypiranga-SP]
Técnico: Comissão

Argentina
Tesorieri; Celli e Castaldi; Chabrolin, Médici e Solari; Rivet, Chiesa, Gaslini, Francia e Cesari.

Data: 22 de outubro de 1922
Competição: Copa Roca
Local: Parque Antártica, em São Paulo
Árbitro: Antônio Carneiro de Campos

Por Raoni David
—————————————————————-
Brazil wins two titles in the same day!

There is a famous true tale in brazilian football that remembers a day back in the early 90’s when São Paulo played twice in the same day, a game for a local tournament and another for a continental one. What many people don’t know is that the Seleção also had two games in the same day, back in 1922.

And those games were valid for titles. In the final match of the South American Championship Brazil had to face Paraguay in Rio, and for the Copa Roca a game against Argentina in São Paulo.

The Seleção was already in Rio for the South American Championship, all the games were played in the Laranjeiras Field. This team beated Paraguay 3 to 0 with a great performance from Formiga and Neco, two of the majority of players that had contracts with São Paulo clubs back then.

And what about the other match in São Paulo? The Brazilian FA (at that time called CBD), called off a “second” team, mainly from players of the São Paulo league, just two guys that played in the second game were from Rio.

After just seven days of their last meeting, a 2 to 0 Brazilian win valid for the South American Championship, Brazil won again 2 to 1, with two goals from Gambarotta.

South American Championship: Brazil 3 x 0 Paraguay

Brazil
Kuntz [Flamengo];Palamone [Botafogo] and Bartô II [AA São Bento]; Laís [Fluminense], Amílcar [Corinthians] and Fortes [Fluminense]; Formiga [Paulistano], Neco [Corinthians], Heitor Domingues [Palestra Itália], Tatu [Corinthians] and Rodrigues I [Corinthians]
Coach: Staff

Paraguay
Denis; Gonzalez and Paredes; Miranda, Fleitas Solich and Benitez; Schaere, Capdeville, Lopez, Rivas and Prates
Coach: Manuel Fleitas Solich

Date: 22nd October 1922
Competition: South American Championship
Place: Laranjeiras Field, Rio de Janeiro
Referee: Servando Perez

Copa Roca: Brazil 2 x 1 Argentina

Brasil
Mesquita [Portuguesa]; Grané [Ypiranga] and Clodô [Paulistano]; Abatte [Paulistano], Faragassi [Ypiranga] and Nesi [São Cristóvão]; Leite de Castro [Botafogo] (Brasileiro) [Minas Gerais], Zezé I [Fluminense], Gambarotta [Corinthians], Tepet [Ypiranga] and Osses [Ypiranga]
Coach: Staff

Argentina
Tesorieri; Celli and Castaldi; Chabrolin, Médici and Solari; Rivet, Chiesa, Gaslini, Francia and Cesari.

Date: 22nd October 1922
Competition: Copa Roca
Place: Parque Antártica Stadium, São Paulo
Referee: Antônio Carneiro de Campos

Tradução de Fabricio Presilli

Brasil contra Nação, por Geraldo!

No dia 6 de outubro de 1976 um selecionado brasileiro recheado de craques enfrentou a equipe do Flamengo, que era o embrião daquele grande time da década de 80. Mas os craques do Brasil, e a força do time do Flamengo são quase nada, diante do motivo do jogo.

Geraldo Cleofas Dias Alves, ou simplesmente Geraldo vestia a camisa 8 do Flamengo ao lado do camisa 10, Zico. Isso ainda nas categorias de base do clube. Cresceram juntos no futebol profissional e os dribles de Geraldo completavam os de Zico e ambos fizeram grande dupla inclusive na conquista do Campeonato Carioca de 1974.

No ano seguinte, convocado por Osvaldo Brandão, jogou a Copa América pela Seleção Brasileira, onde ainda reencontraria o amigo Zico no ano seguinte, para a conquista da Copa Roca. Até que no dia 26 de agosto de 1976, Geraldo foi realizar uma cirurgia para retirada das amídalas e acometido por um choque anafilático, faleceu, vítima de uma parada cardíaca.

O amistoso disputado no estádio do Maracanã foi beneficente, para arrecadar fundos para a família do jogador, que faleceu aos 22 anos. As substituições foram ilimitadas, e até Pelé, à época, já no Cosmos, jogou e como titular, ao lado de Rivellino, Clodoaldo, Jairzinho, Marco Antônio, Piazza, Zé Maria, Carlos Alberto e Félix, companheiros do tri em 70, no México.

O time flamenguista não vivia grande fase, tanto que viu neste ano o Fluminense (base da seleção neste amistoso) ser campeão carioca sobre o Vasco. Mas já contava com boa parte dos jogadores que mais tarde fariam história no maior time da história do clube, como Andrade, Rondinelli, Júnior, Júlio César, Adílio e claro, Zico. Com gols de Paulinho e Luís Paulo, o time rubro-negro venceu.

Mas só em campo. Pois quem ganhou mesmo foi a memória do futebol brasileiro, que homenageou mais um craque que se foi cedo demais!

Ficha técnica: Brasil 0x2 Flamengo

Brasil
Félix [Fluminense] (Leão) [Palmeiras]; Carlos Alberto Torres [Fluminense] (Wladimir) [Corinthians], Marinho Peres [Internacional] (Zé Maria) [Corinthians], Piazza [Cruzeiro] (Beto Fuscão) [Grêmio] e Marco Antônio [Vasco] (Rodrigues Neto) [Fluminense]; Clodoaldo [Santos] (Givanildo) [Santa Cruz], Rivellino [Fluminense] (Ademir da Guia) [Palmeiras] e Pelé [NY Cosmos] (Dada Maravilha) [Internacional]; Jairzinho [Cruzeiro] (Gil) [Fluminense], Paulo César Caju [Fluminense] (Neca) [Corinthians] e Edu Bala [Palmeiras] (Valdomiro) [Internacional]
Técnico: Osvaldo Brandão.

Flamengo
Cantarelli; Dequinha, Jaime (Andrade), Rondinelli (Paolino) e Júnior; Merica (Zé Roberto), Tadeu (Dendê) e Zico (Júnior Brasília); Paulinho (Adílio), Luís Paulo (Júlio César) e Luizinho (Marciano)
Técnico: Cláudio Coutinho.

Data: 06 de outubro de 1976
Competição: Amistoso não oficial
Local: Estádio jornalista Mário Filho (Maracanã)
Árbitro: Armando Marques
Gols: Paulinho e Luís Paulo (FLA)

Saiba mais sobre Geraldo: http://anacaorubronegra.blogspot.com/2007/04/um-craque-chamado-geraldo.html

Por Raoni David

—————————————————————-

Brazil vs nation, honoring Geraldo!

On the 06th of october in 1976 a national squad filled with great players faced a Flamengo squad, at that time Flamengo formed the backbone of the national team. But Brazil’s players and Flamengo’s strenght are small towards the real reason for the match.

Geraldo Cleofas Dias Alves, or simply Geraldo, worn Flamengo’s 8, playing alongside Zico. That story between them started in the youth academy of Flamengo, they grown togheter to the main squads and Geraldo’s ability alongside with Zico made a great midfield, even winning the Campeonato Carioca in 1974.

By next year, called from coach Osvaldo Brandão, he played in Copa América for the Seleção, finding again his longtime friend the following year to play the Copa Roca. But on the 26th of august Geraldo went to the hospital for a routine tonsil removal and passed away because of complications during the procedure, he was 22 years old.

The friendly match played at Maracanã was a fund raiser for Geraldo’s family, there were no limit to substitutions, even Pelé, at that time playing in the New York Cosmos, played in the first team, alongside with Rivellino, Clodoaldo, Jairzinho, Marco Antônio, Piazza, Zé Maria, Carlos Alberto and Félix, teamates from the 1970 World Cup.

The Flamongo squad was not in the best record, insomuch that rival Fluminense won the Campeonato Carioca over Vasco that year. But Flamengo already had the base that some years later would be the greatest team in the club’s history. Players like Andrade, Rondinelli, Júnior, Júlio Cesar, Adílio and, of course, Zico. With goals from Paulinho and Luís Paulo, Flamengo won.

But only on the field, because who really became proud was the history of brazilian football, with a recognition to a player that went too soon.

Brasil 0x2 Flamengo

Brasil
Félix [Fluminense] (Leão) [Palmeiras]; Carlos Alberto Torres [Fluminense] (Wladimir) [Corinthians], Marinho Peres [Internacional] (Zé Maria) [Corinthians], Piazza [Cruzeiro] (Beto Fuscão) [Grêmio] and Marco Antônio [Vasco] (Rodrigues Neto) [Fluminense]; Clodoaldo [Santos] (Givanildo) [Santa Cruz], Rivellino [Fluminense] (Ademir da Guia) [Palmeiras] and Pelé [NY Cosmos] (Dada Maravilha) [Internacional]; Jairzinho [Cruzeiro] (Gil) [Fluminense], Paulo César Caju [Fluminense] (Neca) [Corinthians] and Edu Bala [Palmeiras] (Valdomiro) [Internacional]
Coach: Osvaldo Brandão.

Flamengo
Cantarelli; Dequinha, Jaime (Andrade), Rondinelli (Paolino) and Júnior; Merica (Zé Roberto), Tadeu (Dendê) and Zico (Júnior Brasília); Paulinho (Adílio), Luís Paulo (Júlio César) and Luizinho (Marciano)
Coach: Cláudio Coutinho.

Date: 06th october 1976
Competition: Friendly
Place: Mário Filho Stadium (Maracanã)
Referee: Armando Marques
Goals: Paulinho and Luís Paulo (FLA)

More on Geraldo: http://anacaorubronegra.blogspot.com/2007/04/um-craque-chamado-geraldo.html

Tradução de Fabricio Presilli